segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Helmet em São Paulo


Quinta-feira passada, os americanos do Helmet fizeram um show em SãPã, em uma casa no baixo Augusta (rápida explicação: o Helmet é uma banda de metal formada na virada dos 80 pros 90. Lançou quatro discos e se desfez no fim dos anos 90. Em 2004, o guitarrista-vocalista-compositor-fundador Page Hamilton resolveu ressuscitar o grupo, que desde então já lançou mais três discos).

Meu medo maior era que a banda se focasse mais nas faixas dos álbuns recentes, que são bem ruinzinhos (outra rápida explicação: o Helmet foi uma mega influência para o nu metal, só que a impressão que dá, nesses discos pós-retorno, é que o nu metal inspirou o Helmet. Juro que tem uma faixa de Size Matters que lembra de leve Linkin Park - é, TENSO).

Felizmente, meu medo não se concretizou. O repertório do show passeou por toda a carreira do grupo, incluindo aí o quase hit Unsung, Wilma's Rainbow, Birth Defect, Blacktop, In the Meantime... Todas executadas perfeitamente, sem nenhum deslize - se lembrarmos que, tirando o Hamilton, todos estão na banda há pouco tempo (o guitarrista base talvez não fosse nem nascido quando o grupo lançou o primeiro disco), foi um feito surpreendente.



No entanto, o show teve seus probleminhas - e o mais bizarro é que esses problemas parecem ter sido causados pelo fato de Page Hamilton ser um cara absurdamente gente boa. Vejamos:

- Page Hamilton é tão gente boa que o volume da sua guitarra estava igual ao da guitarra base. Ou seja: na hora dos solos, praticamente não dava para ouvir o que ele tocava. O que é uma merda, visto que é nos solos que Hamilton mostra todo seu lado noizêro de quem no Glenn Branca Ensemble e se aventura por maluquices free jazz. O público berrava "aumenta essa porra!!!", mas Hamilton é gente boa demais pra pedir pro técnico aumentar a porra, ou pra ir ele mesmo e enfiar a pata no botão de volume do amplificador.

- Page Hamilton é tão gente boa que pergunta para o público o que ele quer ouvir. Umas três ou quatro vezes ele meio que parou o show para ouvir sugestões da plateia. Claro que nessas horas 498368 pessoas começaram a berrar ao mesmo tempo, e claro que sempre tem aquele fã mala pedindo para tocarem uma sobra de estúdio da gravação da primeira demo da banda. Apesar dos esforços de Hamilton para fazer todos felizes, teve um desgraçado do meu lado que passou o show todo gritando "Sinatra!!!", que eles não tocaram - uma pena, pois acho essa a música mais foda do Helmet.

- Page Hamilton é tão gente boa que quis homenagear o público brasileiro tocando música brasileira, então em um certo ponto do show começou a puxar umas bossas (começando por Garota de Ipanema, sente o drama). Ninguém teve coragem de gritar algum desaforo, mas as expressões de "Que merda é essa?!", "Aqui nós odiamos essa porra!" e "Você está queimando seu filme animalmente" fizeram com que ele rapidamente desistisse de encarnar o João Gilberto.

Tirando isso, foi só alegria.

4 comentários:

marcos nasc. disse...

essa banda tem pelo menos um classico q é o meantime. gosto mt de algumas musicas do betty tb.

marcos.

Raquel Setz disse...

Gosto dos dois, mas acho o 1º disco melhor. Até lembra de leve o Melvins em algumas horas.

Anônimo disse...

olha me esqueci do primeiro, realmente é otimo e dps do betty ja nao curto tanto.

Anônimo disse...

nice blog